quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Amor de ninguém

Este amor vai além de mim,
além da dor e da arrogância
Sobrepujia a própria morte
e sobrevive
Às páginas amareladas,
aos álbuns de retrato e
às palavras vazias, baldias.
Sobrevive, pois vai além
de qualquer coisa a ser dita
Mastiga a hipocrisia e
vomita a sinceridade
Esmaga a covardia e
descobre a coragem
Não se contenta com a paz
lutando a batalha da luz.
Sem se conformar com a injustiça
Sem nunca aceitar a indiferença
Sossegando na igualdade
um amor que vai além da poesia
(por que até o mais belo
dos poemas morre um dia)
Mas não morre esta magia,
este brilho no olhar
E não finda a agonia,
ou o desejo de lhe tocar.
O amor vai além de mim,
ele ultrapassa a qualquer um,
porque se estende a todos
os lugares onde haja
um pequeno espaço
para o amor entrar.

Nenhum comentário: