quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Aurora

Triste como o sol no entardecer...
Triste como quem perde a vontade de viver...
Triste minha alma a percorrer pelo meu ser...
Triste é cantar e ainda assim sofrer...
Mas quem sabe o sol num outro dia possa amanhecer?
Mas quem sabe o céu azul lhe faça renascer?
E então, quem sabe minha alma cante uma outra canção?
E, quem sabe então, me sorria o coração?
Agora vem surgindo a noite cheia de luar...
Meus versos vêm a minha mão para poder gritar...
E meus olhos marejados sem poder chorar
Pedem a quem passa para me abraçar...

Nenhum comentário: