quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Cegos do Castelo II*

Eles...
rastreiam suas presas
gostam do cheiro de sangue fresco
tateiam em sua escuridão
a procura de armas -
maculam...
espero a espreita
minha morte passiva
sim, sim...me emaranhei nas correntes.
apenas escondida em um canto
" e aquele garoto que ia mudar o mundo"
murmuro em preces
a um Deus perdido, perdido...
E em meio a devassidão insana
dos caçadores ferozes

me calo
me calo
me calo...
silêncio dos ignorantes

(título referência a música da banda Titãs )

Nenhum comentário: