quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

ESCONDERIJO

Por que não
consigo fugir
deste medo,
desta angústia,
ou se quer do
desespero?
As músicas
que eu amava,
me magoam.
meus versos,
não ecoam.
Ficou o silêncio
de vidro
partido,
ficou navalha.
Ficou solidão
e sangue...

Nenhum comentário: