quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Outono

Silenciosamente
como caem
as folhas
no outono

Deixo-me prostrar
sob a melancolia
que me envolve

Sibila meu riso
como o vento
nas árvores,
mas não é riso,
não há vento,
só lamentos

Sou uma estação
 perdida
entre frio e quente
entre o ser e o não ser

Não trago flores,
dispo florestas.

Nenhum comentário: