quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Soneto da Pieguice

Grande amor que partiu
Partiu sempre estando ausente
Mesmo quando parecia presente
Presente somente a ilusão existiu
Quem me dera neste luar
Um anjo estivesse me abraçando
Com suas asas quentes enlaçando
E envolvendo com seu cantar
Triste amor que foi embora
A madrugada se faz tão longa
e a solidão congela a hora
infeliz a vida de quem não chora
para quem a madrugada se delonga
pela eternidade do agora

Nenhum comentário: