quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

suave

Disperso meus mistérios pelo ar.
Enquanto caminho meus pés plantam flores.
Minha boca tem gosto de morte e meu almoço é o medo.
Por que pernas fracas e mente forte
não conseguem suportar
o peso de uma alma vazia?
E se berro, quem urra é a tempestade.
E se choro,
quem goteja são
                as nuvens 
                       sobre os telhados.

Nenhum comentário: