segunda-feira, 18 de julho de 2016

Entre nós

Toquem os flautins
Chorem os oboés
Para você e para mim
Sempre como deus quiser

É na madrugada
Que aprendi sonhar
Hipnotizada
Tentando lhe achar

Pelas águas sonsa
deste meu destino
Beijos muitas bocas
Neste meu caminho

Mas nenhuma delas
Tem seu gosto não
Toquem logo as cordas
Deste violão

Que meus olhos vejam
Mesmo sem visão
Que o amor que sinto
Não é a toa não

Se a nossa música
Não desafinar
Vamos pela vida
Até deus chamar

Angel

Nenhum comentário: