domingo, 24 de julho de 2016

Madrugada

A noite quando cai
Traz no seu tombo a saudade
Minha mente diz que é vã
A procura, a espera...
Mas meu coração sobrevive
Na certeza do reencontro
Foram breve os momentos felizes
Porém eterno o encanto
Seria minha carta um verso?
Será um poema meu pranto?
Só sei de um futuro incerto
Só sei de meu desencanto
E lá onde ouve-se meu canto
( num canto escuro da sala)
Eu me amanheço esperando
Pensando em como encontrar
Um modo certo e faceiro
De meu amor declarar
Com os raios do sol
Começa o dia
Finda-se a noite
Encerra-se a agonia
E morre estupidamente
A poesia


Nenhum comentário: