sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Eu

Me criaram menina prendada
De saia rodada
Em rosas e rendas
Me arrastaram pra igreja
Meteram- me deuses e lendas
Nem bem aprendi a andar
Mudei de rumo, minha direção
Foi só a poesia entrar
Que eu fui parar na contramão
Um dia num velho cassete
Encontrei com o tal rock n' roll
Nem rosa, nem rendas
Minha história mudou
Hoje eu sou poeta
Sou bicho raro.
Beirando extinção
Selvagem é meu espírito
Indomável o meu coração
Minha poesia não é trégua.
É grito de guerra
 Poesia que berra.
Urro na tempestade
Não chega, invade.
Angel


Nenhum comentário: