terça-feira, 22 de novembro de 2016

Canibal



Hoje numa taça
Do mais fino cristal
Lhe servirei uma dose letal
De minha tristeza
Quero que beba-a
Até se fartar
(Ou enfadar)
Por isso vou deixar
A garrafa na mesa

Para saciar
Seu apetite voraz
Prometo me cortar
Em partes pequenas
Salgadas na lágrimas
Onde chorei sua ausência

Serei uma porção suculenta
Servida em bela bandeja
Enquanto bebe e come
Com garfo e faca
De prata nobre
Das dores que sinto
Eu finjo e minto
Um sorriso fugaz

(Poesia Canibal, de Angela)

Nenhum comentário: