segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Deus me livre de amar um poeta



Deus me livre de me apaixonar por um poeta
 e ter uma existência maldita.
Passar meus dias à mercê de versos,
viver de mendigar poesia.

Deus me livre saber-te  na boêmia
enquanto meu corpo se flagela
sozinho na madrugada

Deus me proteja de masturbar-me
 lendo tuas juras de amor eterno
Se os poemas que leio são os mesmos
que declamas pra putas bêbadas num bar qualquer.

Deus me livre de ser tua enquanto não és meu.
De tentar adivinhar para qual musa andas a construir rimas.
De deitar-te contigo em minha cama
E saber que não sonhas comigo, mas com a poesia

Deus me livre de me apaixonar por um poeta.
De ler tuas traições em tua prosa....
De ser  perdida em meus amores por ti,
 De chorar sozinha nos cantos
para não desarranjar tuas rimas.

Deus me livre de sentir tudo isso
que sinto quando estou junto a ti
Também sou poeta e maldita
Sei bem do que venho pedir

Angel