quinta-feira, 13 de outubro de 2016

tesouro

O que eu tenho?
Só minha poesia, mais nada. 
Sonhos? Perdi-os
Amores? Matei-os
Meus versos são asas
Me levam além das nuvens
Meus poemas correntes
Que prendem meus pés na Terra
Humana
Semi deusa
Poeta.
Nem pecado
Nem perdão
Apenas as palavras enluadas na solidão

Angel.

quando

Era noite?
Era dia?
É agonia.
Eu caço palavras pra explicar sentimentos.
Lanço flechas, jogo redes...
O que eu pego não é meu.
 É fúria de minha natureza!