segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Viagem



Não sei se aqui fico
Ou se me vou
A estrada é longa
Meu pneu furou

A lembrança pesa,
Mas não dá pra deixar
Os meus pés cansados
Estão a sangrar

Eu me apaixonei
Dei meu coração
Dei-lhe minha poesia
Foi tudo em vão

Igual a mim
Haviam muitas
Tolas todas
Poetas tolas
Ele, sem coração.

Falou que amava almas
De sua  solidão
Era mentira tudo
Me entreguei em vão

Coloquei meus restos
Numa mala escura
Eram apenas cacos
Não davam sutura

Hoje minha rima
Mais pobre ficou
Foi-se a paixão
Só a dor restou

Não sei se aqui fico
Qual é o meu lugar
Eu sou um poeta
Quem pode me amar?

Angel.