sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

É foda!



Tudo é sexo 
Na fodilança dos dias
Desde os primórdios do tempo
Da mais etérea agonia
Se tudo em Freud é foda
Em Jung se masturbaria

Há sexo em Beethoven
Em sua nona sinfonia
Na carta à sua amada
Em sua imortal melodia

Por isso lhe digo, baby
Há sexo no rock liberdade n' roll
Vivido desde Woodstock
Entre os becks e os shows

Em Sade, o poeta
Aliás, em toda poesia...

Há sexo na filosofia
Dentre os mais doutos homens
A sífilis foi a kriptonita
De Nietzsche e seu super homem

Em Hanna amando Heidegger
Em Sartre e Beauvoir

Há porra por toda cidade
Em todo beco ou portão
Somos bicho, somo gente 
E todos temos tesão

Há sexo na putaria
E também na castidade
Um no dia a dia
O outro só na vontade

Vivemos tempos nefastos
De recatada hipocrisia
Onde a paixão é pecado
E a violência cartilha

O pai da psicanálise
Observa sabiamente
Que tudo  que se repreende
Vira alguma neurose

Enfim, somos todos
Santos hipócritas
Sofrendo de psicose

Angel