quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Solidão




No fim da tarde
Na calada da noite
Eu ouço seus passos
Eu fico de pronte

Sei que é a hora
Da fera comer
Ouço sua fome
A me corroer

Ela  predadora
Farejando no ar
Meu sangue e suor
Vai me devorar

Há um fio muito tenso
Estendido entre nós
Entre olhares atentos
Estamos tão sós

A solidão mal maior
Veio me possuir
Ela, Fera faminta,
Carne humana
Gosta de consumir.

Angel.

Nenhum comentário: