quinta-feira, 30 de março de 2017

Lobo



Ouve o que não digo, lobo. 
Ouve meu sussurro perdido na  floresta densa. 
Sei-te alerta. 
Em estado de caça. 
Confesso-me orgulhosa do meu predador.
Mas não esteja triste, lobo, que nossos corações batem num só ritmo. 
E tua dor é minha. 
Deixa-me acarinhar-te o pelo.
 Deitar-me contigo na relva. 
Perdoa-me, lobo....

Angel com Celso Roberto Nadilo

Nenhum comentário: