quarta-feira, 12 de abril de 2017

Estranhez




É estranho falar
Do abstrato
De fato, te produzo concreto em meus pensamentos.
Construo-te parte de mim. Ilusão.
Você pássaro livre, voando imensidão.
Eu, nasci cativa. Conheço só a prisão.
Mas, confesso é bom ver pelas frestas teu voo, tua liberdade.
Faço de tuas as minhas asas e deliro lonjuras
Que nunca, nunca voarei.
Me faz bem ser-te...

Angel.

Nenhum comentário: