sexta-feira, 28 de abril de 2017

Foto

Por trás da lente vejo o mundo 
Por trás do mundo eu, mudo, observo você:
A borboleta que baila perdida entre as flores. 
Eu, lente. Foco seu voo livre. Aprisiono sua imagem, eternizo seu movimento.
Não respiro, o momento exige perfeição, entrega absoluta. 
Se eu lhe encurralar não registrarei a exuberância de suas asas, de sua alma.
Então deixo que desfile indecente entre galhos, espinhos, e jasmins.
A vida se movimenta no vácuo do seu planar.
Eu, onipresente, respiro enfim o amar

Angel.

Nenhum comentário: