sexta-feira, 21 de abril de 2017

Louca

para entender-me você teria que abraçar a dor como eu abraço.
Teria que caminhar levemente na escuridão como caminho.
Teria ainda que devorar seu medo a cada amanhecer  como devoro.
Mas não deseje isso. 
Olha para mim, nada tenho a oferecer além das minhas cicatrizes. 
Bailo inconsciente e louca. Todavia absoluta.
Aflige-lhe a liberdade onde agonizo.
Não troco o milagre de ser.maldita.
Eu irrito. Eu provoco. Grito.
Me faço o abismo de  Nietzsche para você olhar.
No fundo, sou só o espelho a lhe encarar.

Angel

desafio.aceito Isabel Cabaleiro

Nenhum comentário: