quarta-feira, 12 de abril de 2017

Nina



Menina, venha aqui
Presta atenção ao que lhe digo.
Chega de viver de sonhos tristes que caem das mesas no bar. 
Você não merece farelos ou restos...
Menina, enxuga estas lágrimas e  larga esta mania de ficar no chão.
Vem cá, segura a minha mão.
Você não está só, somos milhares. 
Irmâs da lua. Filhas de Gaia. 
Dançando nuas de corpo e alma ao redor do fogo. Onde nos queimarão, mas pouco importa, desde que dancemos na floresta.
O vento murmura nossa dor. Gememos o prazer e a agonia da Vida.
Não, menina, a vida não é um conto de fadas. 
Somos o que somos; pó de estrelas mortas. 
Todavia, menina, estas estrelas  reluzem em seus olhos tristes.
Então me abraça. Vamos caminhar com as mãos entrelaçadas até o infinito. É logo ali...

Angel...

Nenhum comentário: