sábado, 21 de janeiro de 2017

Liberdade



As paredes do quarto
Retangulo planejado
Para me enjaular
Disfarçadamente aconchegantes
Para que eu me acostume
E me esqueça que sou selvagem

Minha alma, feito animal
Não se rende. Sou arredia.
Me debato até sangrar
Não aceito paliativos
Nas feridas que se abrem

Tenho asas longas
Que se ferem nas madrugadas
Solitárias...
-Será que ainda posso voar?
Penso, enxugando a lágrima
Que queima feito ácido
Em minha face.

Angel

Frase




"Não sou dona dos meus pé quando vão em tua direção"

Angel

Wicca



Velha anciã, bruxa maldita
Queimei-me tantas vezes
Em sua fogueira de hipocrisia
Que sou chama constante a arder
Em louvor a deusa que me guia

Esses seus deuses senis
 e demônios perdidos
Nada podem sobre minha
Ancestralidade feminina

Sou a Terra fértil que frutifica o Universo
Sou a feiticeira que encanta palavras
Sou a poeta que rompeu a estética da poesia
Sou a mulher que rompeu com a hierarquia da sexualidade pré estabelecida.

Danço nua em volta da fogueira
Danço nua em volta da poesia
Danço nua em volta dos seus padrões.
E queimo, queimo intensamente em seus corações.

Angel