sábado, 11 de fevereiro de 2017

Poesia

Poesia, poesia.
Me salva da vida vazia
Me salva das dores de amores
Me salva do medo da morte

És minha religião
Minha paixão mais profunda
Os erros mais belos que deixo
pelo meu caminho

És, poesia, o sangue que jorra 
das minhas feridas
(Que são tantas)

Angel.

Cicatriz



Prosto- me silenciosa 
diante de tua ausência
e as lágrimas
 não derramadas
correm dentro das veias
envenenando meu sangue

Tu, que não és, 
não sendo me consola
Teu não estar é
Sádica companhia 

Há um laço invisível
juntando nossos calcanhares
de Aquiles
Nossas cicatrizes se estendem 
em ambos os corpos 
e, nelas nos remendaram juntos.

A frivolidade das conversas 
nos permite tal amor que
não foi, nem é ou será, mas
que permanece sendo.

Reconheço o porquê
dos teus silêncios... 
Sigo com a paz
que não possuo, pois ela é
irmã siamesa de tua guerra.

Angel.