sexta-feira, 21 de abril de 2017

Cama

Minha carne branca
 roçando os lençóis 
Minha Carne nua 
rolando na cama 
Sei-te rondando me na noite 
Sussurro o teu nome no vento
Aguça os ouvidos e
vem predador implacável 
nas madrugadas 
Fareja Minha Carne 
Deseja meu sangue
Possui minha alma
Tens fome de mim,
então venha selvagem
e me profana
Minha pele anseia
a tua mordida voraz.
Última chance
antes que eu corra
Faz parte da presa
tentar fugir.
Mas és caçador e 
sei que me queres
Prova do meu sangue
me faz parte de ti.

Angel...

Corvo

Mordo os pulsos
e conto o tempo:
A ave negra pousou
no ombro esquerdo
da moça louca.
Olhos vidrados e boca aberta
Moscas mortas ao chão
Ela se alimenta delas
uma a uma. ..
Com uma das mãos
enrola e arranca o cabelo.
Ela grita! GRITA...

Ninguém vê.

Veem a moça
Sentada de roupa alinhada
Cabelos dourados, bem penteados
Ela, prestativa e sorridente.

Ninguém ouve.

Angel

Menina

Menina, venha aqui
Presta atenção ao que lhe digo.
Chega de viver de sonhos tristes que caem das mesas no bar. 
Você não merece farelos ou restos...
Menina, enxuga estas lágrimas e  larga esta mania de ficar no chão.
Vem cá, segura a minha mão.
Você não está só, somos milhares. 
Irmâs da lua. Filhas de Gaia. 
Dançando nuas de corpo e alma ao redor do fogo. Onde nos queimarão, mas pouco importa, desde que dancemos na floresta.
O vento murmura nossa dor. Gememos o prazer e a agonia da Vida.
Não, menina, a vida não é um conto de fadas. 
Somos o que somos; pó de estrelas mortas. 
Todavia, menina, estas estrelas  reluzem em seus olhos tristes.
Então me abraça. Vamos caminhar com as mãos entrelaçadas até o infinito. É logo ali...

Angel...

Lâmina

Hoje quero a lâmina mais fina a traçar o seu bailado lírico sobre minha  pálida epiderme.
Que seja suave e sagrado manchando de carmin o meu leito dourado.
A dor desfilando ligeira sobre a carne, traçando retas, encurtando metas. 
Usurpar o que é sagrado. Ter os olhos selados pelo beijo maldito.
Hoje eu preciso silenciar todos os gritos dentro da minha cabeça...

Angel.

Louca

para entender-me você teria que abraçar a dor como eu abraço.
Teria que caminhar levemente na escuridão como caminho.
Teria ainda que devorar seu medo a cada amanhecer  como devoro.
Mas não deseje isso. 
Olha para mim, nada tenho a oferecer além das minhas cicatrizes. 
Bailo inconsciente e louca. Todavia absoluta.
Aflige-lhe a liberdade onde agonizo.
Não troco o milagre de ser.maldita.
Eu irrito. Eu provoco. Grito.
Me faço o abismo de  Nietzsche para você olhar.
No fundo, sou só o espelho a lhe encarar.

Angel

desafio.aceito Isabel Cabaleiro

Sangue

meu sangue que escorre
feito suor sobre a pele pálida
meu sangue, teu alimento fálico.
degenerados somos.
fora dos padrões, sem.patrões.
seguimos perdidos.
mas mais que humanos:
anjos caídos de paraísos 
decadentes.

angel

Lilith

tua deusa,
 Lilith!
caída e suja
sou a profanação
a poesia sem rima
a inspiração que
rouba teu sono
que te atormenta
Sou teu ódio gritando
sou a lágrima que te torna.humano.

angel

Dor

dor, dor que és tão forte... 
que destrói homens, mulheres e deuses.
por que me atormentas?
sou só um poeta mesquinho
que quer dar asas aos passarinhos...

angel

5 minutos

há cinco minutos eu te pertencia tão plenamente, mas por descuido ou descaso  me deixou solta.
desde então eu corro sem direção
liberta e assustada
livre e louca
perdida, mas minha

angel

Você

pensei em você
e vivi mais um dia
desenhei em minha pele
um coração vermelho-sangue
bebi a vida que fluia
fui forte, na fraqueza que me corrói.
você, mais um dia
um dia de cada vez...

angel

Frase

bom dia, poetas. 

"procurou poesia na lua. Deu de cara com a ciência nua e crua. Mesmo assim se encantou...
Pobre poeira de estrelas!"

Angel

Papo com o diabo

o cara quer comprar a minha alma. A minha alma, seu moço?
Tô vendendo não. Nem troco. Não alugo...
Minha alma é minha não é de velho barbudo, nem de anjo invejoso.
Minha alma é do Amor, da Poesia, da Dor. Do que me faz gemer, gozar, crescer...
Seu moço, não seja tinhoso. 
Meu coração é teimoso e só quer amar!
Não me sobra tempo pra negociata barata nem lorota da braba. 
Minha vida é labuta. Só ganho o suado, mas assim o valor de cada tostão é dobrado.
Um abraço apertado, seja pra deus ou o diabo .

angel.

Perséfone

fui arrancada ainda feto de um ventre e jogada aos lobos pra satisfazer-lhes.
filha da chuva e dos trovões, carrego a fúria do vento em meus quatro corações.
domei os lobos e, hoje, sou selvagem.
farejo a tempestade que se aproxima e me preparo, mas não espere que eu me fragmente, sou inteira
não espere que eu me esconda, 
sou verdadeira.
minha fé são estes pés ora em olímpo   ora em hades

angel

Dia de chuva

chuva, bendita chuva
cai sobre a poesia que veio me acordar antes do sol nascer.
Aplaca o calor solitário que estes versos gritam em minha alma.
No final da contas, depois de todos os gozos, seremos sempre e somente eu e a poesia.

angel