quinta-feira, 4 de maio de 2017

Lençol



Veja o tecido branco que me cobre
Perfeitamente tecido e estendido sobre meu corpo
Está limpeza e perfeição não me traduzem. 
Porque elas esconde a devassidão e dor que trago comigo.
A lâmina voraz é a poesia que eu finco com afinco em busca de libertação.
Vaza nos versos o sangue sujo, mancha De lá Mancha a branquidão.
Sim, Quixotesca. Imersa na escuridão que sou, me afogo.
É, assim em agonia e êxtase, que ouço a voz do  amor a chamar meu nome.
Dos farrapos do lençol eu faço o laço que me ata a você.
 Eu lhe curo. Você me salva. Enquanto nós nos comemos ao som de Marley sob a luz pálida da lua cheia..

Angel

jaci



Desafio das lendas:

Jaci luzia na noite
da aldeia onde
Naiá ouvia de Pajé
desde curumim
que tocando Jaci
brilharia como ela..

As Cunhãs desejosas
procuravam enfeitar-se
com penas nos cabelos
e pintura de urucun no rosto
buscavam o amor da lua
almejando tornarem-se estrelas.

Naquela noite escura
Jaci luzia inteira
parecia ter o tamanho do céu
Despertando desejos e ardores

Seu brilho seduzia a jovem Naia
que subia em árvores e montes
tentando o amor alcançar
Toda a tribo dormia, mas
a índia não desistia e, sozinha,
pela floresta seguia.

Naiá num descampado chegou
e ouviu o rio chorando
foi espiar e surpresa viu
refletido nas águas
O brilho de sua amada.

Sem pensar duas vezes
Mergulhou naquelas águas
Mas por mais que nadasse,
que o amor nunca alcançasse
Naiá não desistia.

Assim seu corpo boiou
no rio, como boia a lua no céu
Contam que a lua chorou
E por amor transformou
Naiá numa estrela do rio

Nas noites quando Jaci brilha
Naiá se abre em flor
exalando o suave perfume
do seu amor.

Angel

Lenda: vitória régia

Vadia


Acostumado a comer puta européia achou brega as carnes caipiras da poeta. 
Excitou-se, porém com seus versos a revelia do que seu estômago burguês exigia. Tal diversão gastromica não lhe agradou a digestão, então esferveceu um anti ácido destilado e arrotou calado sua solidão.

Angel.

Brasil 2017



Consta na história
Um povo visto como gado
Feliz de ir pro abate
Feliz por ser livre pra decidir
Se morre no fogo ou na faca
Consta, que às vezes, na história
O povo cansado se fez feroz
E ferozmente lutou unido
Consta que toda vez que isso
Aconteceu o povo deixou
De ser povo e fez história!

Angel

Foto de Gabriela Zanardi

Morte

Se eu gritar teu nome tão alto quanto possam os meus pensamentos, tu vira?
Entrarás pela janela fechada, sem arrombá-la e me levarás contigo no meio da noite?
Cavalgarás pelas estradas invisíveis dos sonhos e me esconderá dentre as brumas?
Preciso saber se podes me fazer sumir devagarinho nas lembranças​ dos que ficam, pois não quero lágrimas a me chamar.
Este lugar quente e seguro para onde me levas tem cheiro de mato? Preciso que tenha, porque me acalma.
Lembro-me criança, olhando a madrugada, esperando-te certa de que viria, de que me escolherias. Mas sempre fui enjeitada por ti. Mesmo tu rondando-me a vida toda.
Agora, dou por certa tua chegada. Cometi todos os Erros tolos que esperavam de mim. Não surpreendi as expectativas de ninguém. 
Irei como vivi, a toa. 
Quero fazer mais um pedido: peço que cante Dylan no longo trajeto rumo ao esquecimento.

Angel...

Viajante

Ela sempre dizia que ia embora, por isso deixava a mala pronta, ao lado da porta. Porém toda noite, pouco antes de adormecer dizia a si: vou ficar mais um dia, quem sabe vai  acontecer algo pelo que valha a pena insistir?
E ela ficava. E todo dia, aconteciam. Não grandes coisas, daquelas que saem nos notíciários, mas pequenas daquelas que marcam a alma pela eternidade...

Angel...

Assim



Entre assim e assado, 
eu lhe amo.
Não posso dizer 
que aprendi  este amor, 
mas que lembrei dele, 
porque ele já existia.

Ele, esse amor, faz parte de mim,
 como se fosse eu mesma.
Há, nessa nossa distância, 
uma falta de sentido absurda, 
que me entristece intensamente.

Se pudesse eu estar ao seu lado,
 iriamos junto regar o boldo
 que você plantou, mas que confidenciou
deixar a chuva molhar por preguiça.
E, juntos, nos surpreenderíamos 
ao vê-lo Florar...

Se pudesse estar ao seu lado
Deitaria em seu colo e 
Ouviria suas histórias
Até adormecer
Talvez, na madrugada,
Acordassemos nos procurando 
um ao outro, e nos amassemos
Até o amanhecer...

Angel...